Greve Geral

AgitClown


Multiplique esta intervenção e convoque sua cidade para a #GreveGeral.


Brigada nacional de agitação e propaganda Carlos Marighella

Roteiro e processo de montagem da intervenção de agitprop na rua convocando para a greve geral com teatro imagem.

O que? Baseado em teatro imagem que narra e informa conjuntura atual, com recorte na reforma da previdência e greve geral.
Porque? Convocar a classe trabalhadora em espaços de grande movimentação para a greve geral dia 28 de abril.

Figurino:
Michel temer: de preto com uma maleta cheia de dinheiro que negociava com o banqueiro.
Banqueiro: estava de sobretudo com dinheiro colado nele, de chapéu longo, gravata borboleta e a maleta que negociava com o Michel temer.
Trabalhadores alienados: de preto em forma de triangulo um do lado do outro, um com a boca tapada, outro com as orelhas tampadas e outro com os olhos vendados com as mãos.
Trabalhadores organizados: todos de preto com faixa escrita greve geral; Duas pessoas com as placas no corpo que dizem de um lado “greve geral” e no outro ”não morra sem se aposentar” entregam panfletos com o texto: “pelo direito de se aposentar, greve geral já, dia 28 de abri de 2017 na avenida paulista”; Duas pessoas, uma com um surdo e outro com um repique, fazem a batucada na hora da música dos trabalhadores.

CENA
A cena começa com todos em silencio apenas em posição, o Michel temer e o banqueiro com as mãos na mala de dinheiro, trabalhadores alienados parados e os trabalhadores organizados em posição com o braço esquerdo erguido.

Michel temer e banqueiro entram na cena, os dois com as mãos na maleta de dinheiro, cantando assim “não pense em crise, trabalhe!” Os trabalhadores alienados cantam junto com eles.

Enquanto isso, trabalhadores organizados ficam em posição de combate, com o braço esquerdo erguido em posição de luta.

Depois do coro do Michel temer e do banqueiro, começa o coro dos trabalhadores organizados, com o jogral que dizia a seguinte frase “para o povo se aposentar, a greve vamos organizar, dia 28 de abril, essa reforma vai cair” duas vezes.

Depois do jogral começa a música do trabalhador:
“Trabalhador eu quero te ver contente, venha barrar essa com gente, que o Michel temer ‘tu sabe’ não tem moral, reforma da previdência retrocesso pra geral”. A cena se desfaz com a música e começa de novo depois que para a música.

Como foi o processo de criação:
Junto a equipe de 15 integrantes, desenvolvemos uma oficina de teatro imagem: em duplas montamos imagens corporais que transmitissem um sentimento sobre o governo. Cada um modelava no corpo do parceiro o que pretendia transmitir, depois tivemos uma rodada que cada dupla apresentava o que tinha sentido e a pose que havia sido modelado.

Passada a rodada em duplas dividimos o grupo em dois, em um dos grupos montaria uma cena relacionada a reforma da previdência, e o outro montaria uma cena relacionada a greve geral. Cada grupo apresentou a cena para que todos pudessem opinar e ver como ficaria mais sistematizado e claro os objetivos do teatro imagem.

Depois de montada as cenas, enxugamos partes das cenas que não eram claras. Assim sintetizamos a cena que transmitia todo o objetivo, ficamos com:
Michel Temer, junto a uma imagem de um banqueiro que representava o capital financeiro, negociando a previdência social do povo.
Trabalhadores alienados, que não escutavam, falavam e não ouviam.
Trabalhadores organizados, em greve contra a reforma da previdência.

Avaliação:
O que funcionou?
A cena montada transmitiu bem a mensagem. O figurino chamou atenção, dialogou bem com quem passava, a distribuição dos panfletos funcionou, ajudou na propaganda da greve geral. A parodia da música contagiou as pessoas, que cantavam junto, chamava também pessoas mais distantes para ver a cena.

O que não funcionou?
Ter cuidado com a entonação das vozes, para não forçar. Ensaiar para que todos cantem juntos. Ter revezamento das pessoas que puxam os gritos de ordem, para não sobrecarregar a voz.

A segurança neste tipo de intervenção, tem que garantir que a cena aconteça sem interrupção, estando na rua tem situações de bêbados, cachorros, moradores de rua. A cena deve interagir com eles, desde que não interfiram na cena negativamente. Para isso a segurança deve estar atenta a todo momento, sempre em volta da intervenção.

Manter sempre o batuque e ritmo constante, pois é o ânimo da intervenção.

Território
Escolhemos 3 espaços para a intervenção: Calçadão, praças e estação do metro. Os três espaços tem semelhança no grande fluxo da classe trabalhadora, que propiciou a cena ser vista por muitas pessoas. Pelos horários da intervenção, as pessoas paravam para assistir, assim a mensagem era bem transmitida.